Gail parada até o pagamento!

Em segundo dia de greve, trabalhadores e SINDCONGRU realizam nova assembleia e decidem continuar greve

0
381

Na manhã de hoje, 26 de abril, novamente a direção do SINDCONGRU, representado pelo seu presidente, Marcelo Ferreira, esteve na porta da Gail, junto com os trabalhadores e de braços cruzados.

Havia a promessa do patrão em oferecer algumas alternativas para a liquidação do débito da empresa com todo os trabalhadores, mas, nossa expectativa foi totalmente em vão.

A proposta oferecida pela administração da empresa era que as trabalhadoras e trabalhadores voltassem a trabalhar para depois de alguns dias pudessem esperar que o pagamento caísse na conta.

Como já era de se esperar, as trabalhadoras e trabalhadores recusaram a proposta por unanimidade, já que, além de estarem atrasados com o adiantamento do salário e o próprio salário, a Gail também está atrasada no pagamento no plano de saúde, impedindo que os trabalhadores e seus familiares pudessem usar esse benefício.

Jonadabe Rodrigues Laurindo, responsável pelo departamento jurídico do SINDCONGRU também esteve presente e falou um pouco do retrospecto da empresa e quais ações jurídicas que a SINDCONGRU deve tomar.

“Devemos ingressar com duas ações, a primeira uma ação coletiva que obrigue a empresa a pagar o salário de todos os trabalhadores. Não existe prioridade 1, prioridade 2 ou prioridade 3. Para o SINDCONGRU a prioridade é uma, a trabalhadora e o trabalhador. Nessa ação, pediremos, também, uma medida cautelar que bloqueie qualquer transferência de valores para sócios, acionistas e gerente da empresa enquanto a Gail não saldar o seu débito com os trabalhadores.

Outra ação que iremos ingressar é o pedido de falência da Gail, esse pedido é para que a empresa explique para o juíz a real condição dela e qual o plano que existe para quitar suas dívidas com os trabalhadores. A partir daí, a empresa passará por um processo de recuperação judicial, só assim que os trabalhadores e trabalhadoras recebam o que lhe é devido.”

Novamente a proposta foi levada para votação e as trabalhadoras e trabalhadores da Gail aprovaram por unanimidade.

Ainda ficou acertado que na próxima segunda-feira, nos reuniremos em assembleia novamente para tomas as próximas decisões. Até lá companheiros!

Somente a luta organizada muda a vida. Não fique só, fique sócio.